segunda-feira, 17 de Janeiro de 2011

O lado positivo do conflito.




O lado positivo do conflito



Vivemos em sociedade, integrados em diferentes grupos sociais e é no seio da interacção com os outros que surgem os conflitos.

O conflito é uma tensão que envolve pessoas ou grupos quando existem tendências ou interesses incompatíveis. Na verdade, o antagonismo de interesses é, pois, uma hipótese plausível para a origem dos conflitos, quer sejam de ordem ideológica, cultural, religiosa, económica, cultural ou política.

É também suficientemente ampla, abarcando a escassez de recursos, o antagonismo de crenças e as assimetrias de poder. Uma vez instalados, os conflitos podem ser reactivados e alimentados pelos preconceitos e atitudes negativas.

De facto, o conflito enfatiza uma perspectiva negativa, com aspectos perturbadores em relação à organização social e um exemplo de um conflito onde está presente esta “versão” negativa é o desentendimento isrealo-árabe, cujo processo se tem vindo arrastar há mais de 50 anos, sem trazer benefícios para nenhuma das partes.
Porém, esta faceta desagradável dos conflitos não pode esconder o papel favorável da sua dinâmica para a mudança e progressos sociais.

É estranho assimilar a ideia de que os conflitos possuam um lado positivo, mas é verdade que esta ideia se constata quer a nível intrapessoal quer a nível intragrupal.

Os conflitos intrapessoais (o que cada um de nós vive quando está perante motivações que são incompatíveis) são positivos porque depois de ultrapassados somos capazes de responder de forma mais adaptada à situação que vivemos.

Ao nível intragrupal os conflitos também contam com o seu carácter positivo, isto porque o confronto é gerador de mudança que é fundamento de evolução e do desenvolvimento social.

Perdendo a conotação totalmente negativa, os conflitos são encarados como um elemento vital à mudança. Muitos avanços a que se assistiu ao longo da história resultaram de inúmeros conflitos que conseguiram dinamizar grupos humanos.

A título de exemplo, pensemos no contributo dos conflitos entre os negros e os brancos para o reconhecimento da igualdade de todos os cidadãos ou então pensemos talvez nas manifestações em Paris lideradas por estudantes em Maio de 1968 que abalaram o sistema político vigente em França tendo como consequência a melhoria do funcionamento de inúmeras instituições sociais.


Os conflitos são uma realidade e podem ser úteis nas diferentes instâncias, isto porque impedem a estagnação e estimulam o surgimento de ideias e estratégias.
Contudo apesar de os conflitos incrementarem um carácter pernicioso estes também possuam um carácter positivo inerente à vida social do Homem.

sexta-feira, 14 de Janeiro de 2011

FORMAS DE ULTRAPASSAR UM CONFLITO

Meios para ultrapassar conflitos: A cooperação, a mediação e a negociação.



Conflito e Cooperação

Ao ultrapassar um conflito, desenvolve-mos psicologicamente, pois somos capazes de responder de forma mais adaptada ao que nos é exigido pela sociedade. Muzafer Sherif e a sua equipa tentaram formas de se ultrapassar o conflito entre os grupos, omitindo actividades competitivas e promovendo outras que motivassem o contacto directo directo entre grupos. Contudo a tentativa revelou-se um fracasso.


http://www.youtube.com/watch?v=SoyXXt5SmRo



Conflito e Mediação

A mediação é uma forma de resolver um conflito, recorrendo a uma outra parte . O papel do mediador é promover a comunicação.A forma do mediador é clarificando a situação, reduzindo a tensão ou propondo concessões com o objectivo chegar a um acordo que pode ser atingido ou não ou de nível satisfatório de parte de ambos.

A mediação pode ser familiar, por exemplo, quando há um divórcio.
A mediação existe também nos conflitos laborais, a uma escala mais ampla nas relações internacionais: a ONU procura ser mediadora de crises e conflitos entre Países.




Conflito e Negociação

A negociação é um processo de conflitos em que as partes intervenientes, voluntariamente, procuram construir um acordo no sentido de impedir o desenvolvimento de hostilidade para fases mais agudas. Ou seja a negociação procura construir um acordo no sentido de impedir o desenvolvimento da hostilidade para fases mais agudas. A negociação visa evitar enfrentar a confrontação directa. É um processo dinâmico em que as duas ou mais partes fazem cedências e exigências mútuas.

domingo, 9 de Janeiro de 2011

Experiência de Muzaferd Sheri




Muzaferd Sheri, psicólogo Turco.



Muzaferd Sheri dividiu num campo de férias de Verão dois grupos de rapazes, as “águias” e as “serpentes”. Estes depois de passarem por uma primeira fase de cooperação foram sujeitos a jogos e actividade de competitividade. Na Segunda fase verificou-se que o nível de competitividade aumentou manifestando-se na segunda semana como um fote rivalidade. Na terceira fase os investigadores excluíram as actividades competitivas e procuraram que os rapazes se unissem, favorecendo o contacto entre eles.

O que se verificou é que existia grande conflito entre as pessoas pertencentes a diferentes grupos.
Na experiência feita por Muzafer Sherif constata-se que o conflito é maior quando as pessoas vêem o que são (por exemplo “águias”) em comparação com o grupo contrário (as “serpentes”) porque reforçam a ideia do pensamento grupal.

Da mesma experiência, retira-se o papel importante que a cooperação tem na resolução dos conflitos, isto é, os dois grupos em análise só se entenderam quando tiveram que colaborar conjuntamente para atingir um objectivo comum.

Vários tipos de Conflito



Pode-se definir conflito como uma tensão que envolve pessoas ou grupos quando existem tendências ou interesses incompatíveis.

O conflito ocorre em relações próximas e/ou interdependentes em que existe um estado de insatisfação entre as partes.

A insatisfação pode ter várias origens: divergência de interesses, competição pelo poder, incompatibilidade de objectivos, partilha de recursos escassos, desacordo de pontos de vista…

A situação de conflito pode assumir o carácter de conflito intrapessoal (conflito interno), conflito interpessoal (conflito entre pessoas) e conflito intergrupal (conflito entre grupos).



Conflito Intrapessoais


Cada um de nós vive quando está perante motivações que são incompatíveis numa perspectiva positiva. A vivência de conflitos marca crises que se manifestem em angústia e confusão, porque pomos em causa a forma como vemos e como estamos no mundo, pomo-nos mesmo em causa. O conflito intrapessoal é a situação na qual há pelo menos duas necessidades simultâneas em que a satisfação da primeira implica a insatisfação da segunda, impelindo a acção da pessoa para direcções diferentes, acarretando desconforto.





Conflito Intergrupal

Os conflitos Intergrupal têm sido encarados de forma diferente. Conflito intergrupal é um conflito entre as pessoas que compõem um grupo. Considera-se que os conflitos têm aspectos negativos porque correspondem a períodos de tensão e de insatisfação das pessoas e dos grupos e têm aspectos positivos porque o confronto é gerador de mudança, que é o fundamento da evolução e do desenvolvimento social.


Conflito Interpessoal



O conflito interpessoal é a situação na qual duas ou mais pessoas divergem na percepção, proposta de acção sobre algum ponto em comum.

O conflito interpessoal pressupõe a tentativa de defesa dos seus interesses e da sua opinião e em oposição provar á outra parte que está errada. Muitas vezes as pessoas recorrem a troca de insultos, tentam responsabilizar o outro, humilhações, etc. Este tipo de comportamento desencadeia um plano emocional negativo e leva as partes á acções extremas. No âmbito de um conflito torna-se difícil lidar com as suas emoções. Muitos indivíduos, mesmo após o conflito, continuam durante um prolongado período de tempo a sentir emoções negativas.

O conflito interpessoal é resultado de ausência de concordância no sistema de interacção entre as pessoas. Começam a surgir pontos de vista, interesses, opiniões diferentes em relação aos mesmos problemas que naquela etapa de relacionamento representa um perigo para a interacção saudável.

Definir Conflito






O conflito surge quando há a necessidade de escolha entre situações que podem ser consideradas incompatíveis. É um conjunto de palavras que reflectem o sentido de divergência, desacordo, desaprovação, desentendimento.

Trata-se de um fenómeno subjectivo, muitas vezes inconsciente ou de difícil percepção. As situações de conflito podem ser resultado de uma tensão que envolve pessoas ou grupos quando existem tendências ou interesses incompatíveis.

Assim só existe conflito se existir uma relação próxima entre as partes de modo a justificar esse mesmo conflito, como se mostram frequentes entre pais e filhos, patrões e trabalhadores. Uma coordenada caracterizadora do conflito é o estado de insatisfação das partes, insatisfação essa que pode ter múltiplas origens como por exemplo, a divergência de interesses, o desacordo de pontos de vista, a partilha de recursos escassos, a competição pelo poder, etc.
No entanto, o conflito social é entendido como um núcleo de mudança e das dinâmicas sociais, tratando-se o conflito de uma manifestação das interacções sociais.